A espera

Odeio fazer esperar.
Sinto-me mal a cada segundo que faço alguém esperar por mim. Se tenciono, com dolo, tratar mal alguém, deixo essa pessoa pendurada à minha espera. Julgo ser uma das armas mais eficazes para causar na outra pessoa desconforto ou irritação.

Contudo, para esta gayja, pior do que deixar outra pessoa à espera, é ela própria ficar pendurada à espera de alguém!
O vazio... O silêncio... A espera...
Começo a irritar-me... Mais irritada fico quando não tenho resposta ao "te, te" sucessivo do telemóvel que aquece no ouvido... Sinto-me impotente e isso é algo que me deixa verdadeiramente fora de mim!
Odeio quando não me atendem o telemóvel!! Não atender a primeira vez... tudo bem... Não atender segunda vez... menos bem mas controlado... A partir da terceira o ritmo cardíaco aumenta, a temperatura sobe e começo a ter de me controlar!!

Depois vem a parte pior. Quando me ocorre que pode ter acontecido algo... Algo... Mas o quê? Qualquer coisa... qualquer coisa má... Mas o quê? Não sei... Mas qualquer coisa má pode ter acontecido... E agora?? Não está aqui! Não atende! O que faço??

Paranóica?
Eventualmente... Possivelmente... Provavelmente!!
Seja como for, se não querem ver-me maluca, simplesmente:
ATENDAM A MERDA DO TELEMÓVEL!!

1 sobreviveram ao "lápis azul":

teddy disse...

ando paki a cuscar o teu blog e estou a adorar. concordo plenamente com este teu post!
fonix atendam o telemovel xD

fika bem*