Mentira!

Ando há muito tempo para escrever sobre um tema que me perturba sobremaneira:
a mentira,
as pessoas que mentem compulsivamente, as pessoas que mentem sem razão ou necessidade alguma, as pessoas que constroem uma mentira e acreditam que ela nunca será descoberta, as pessoas que mentem para romantizar a sua vida, as pessoas que vivem uma mentira, etc, etc...

Tanto há para dizer...
Odeio a mentira! Sou capaz de perdoar tudo. Até traição! Mas mentira...??

Não me refiro, claro está, àquelas mentirinhas piedosas que de vez em quando dizemos para poupar alguém a preocupações (como, por exemplo, quando o pai pergunta se vamos cedo para casa porque quer dormir descansado e nós dizemos que sim, sabendo perfeitamente que vai haver noitada de festa).

Refiro-me a outras mentiras. Não necessariamente mentiras que afectem ou prejudiquem outras pessoas.


Como consegue alguém viver a mentir? Como conseguem controlar onde acaba a mentira e começa a verdade?
Uma mentira nunca vem só... traz sempre outra e outra e outra... É um ciclo vicioso.
Mais cedo ou mais tarde perde-se o controlo. Umas vezes é-se apanhado e nunca volta a haver espaço para a confiança. Outras vezes não se é apanhado na mentira mas é-se apanhado pela mentira - esta passa a controlar a nossa vida e mentimos por tudo e por nada.

São situações que me ultrapassam. Tenho muito medo das suas consequências. É perigosa... E odeio apanhar outras pessoas a mentir. A partir daí começo a duvidar de tudo.

Mas, do meu ponto de vista, existe algo ainda mais incompreensível:

como é possível alguém mentir à pessoa com quem se partilha ou se planeia partilhar a vida?!

Por mais pequena que seja!
Por mais insignificante que possa parecer!
Mesmo que não prejudique ninguém e sirva simplesmente para essa pessoa se enaltecer a si própria.
Não deixa de ser mentira! Não deixa de ser imperdoável! Não deixa de ser estúpido!

Que necessidade têm as pessoas de fazer parecer que são mais ou melhor do que realmente são? Que necessidade têm de tentar parecer algo que não são? Porque julgam que um mentira acerca do seu passado ou suas posses fará delas pessoas melhores?!?

Porque não podem as pessoas ser simplesmente o que são?!?!?


(ando a matutar demasiado... desabafo...)

2 sobreviveram ao "lápis azul":

pessoa solidária disse...

Perdoe gayja, perdoe que eles e elas não sabem o que fazem... Procure a razão da mentira, normalmente ridícula, outras maldosa, mas sempre há uma. Não digo que a aceite (aliás, fica-lhe bem a nobreza de carácter), mas pelo menos compreende... Acredito que tenha escrito este post no calor da mentira apanhada...

Gayja disse...

precisely my point, darling! ;p