Continua a palermice...

No seguimento do que vem sendo dito (por exemplo aqui e aqui), gostaria apenas de acrescentar o seguinte:

Se

"a sociedade está organizada e tem determinado tipo de privilégios, de regalias e até de medidas fiscais no sentido de promover a família como algo que tem por objectivo a procriação"


então todos os casais casados há mais de dois anos que não tenham cumprido as suas obrigações no âmbito de um contrato de casamento e, portanto, não tenham fornecido pelo menos uma criança à sociedade, devem ter os seus casamentos anulados!!

É que não se admite estar a atribuir certas regalias só para eles terem filhos e depois não os terem! Isso é uma violação da teleologia das normas do casamento!
Nulo! Tudo nulo!



(Gayja anda com muito pouca paciência...)

Adenda:
1) Posição da ILGA no Público.
2) Para tomar alguma iniciativa, seguir o exemplo que se encontra aqui.
3) Posição da ILGA no seu próprio site.

13 sobreviveram ao "lápis azul":

Estrelaminha disse...

boa tarde!
tens razão.
sem comentários.
é o meter os pés pelas mãos.
bjs

Recuperação disse...

Junto-me a si com a sua devida licença, menina Gayja :)
A paciência por estas bandas também não está grande coisa.
Para todo o lado que olho só vejo/ouço porcaria...
Bora lá anular esses casamentos todos :)
Um bom fim de tarde/noite

Rebeca disse...

eu assino por baixo....

(só acho que muitos desses a quem se devia anular o casorio nao se iam importar... ou então ja se tinham divorciado - palavras de quem cada vez menos acredita no casamento)

Philip disse...

http://dn.sapo.pt/2008/07/02/nacional/ferreira_leite_admite_discriminar_ca.html

Enfim...

Gayja disse...

estrelaminha, quando se pensa que o país vai "andando" para a frente ainda levamos com uma destas... Enfim... :(

recuperação, paciência começa a esgotar porque até para a ignorância deveria haver limites, não é? Tudo nulo! ;p Boa noite!

rebeca, dá deus nozes a quem não tem dentes... ;p

Philip disse...

Pois bem, já deixei a minha 'posição' no Público e como sempre aquilo tá bombástico. Pk os que são contra... inexplicavelmente são sempre atraídos àquilo a que eles chamam 'repugnante'. Devem ter algum complexo... funny!

pessoa solidária disse...

Eu sou a favor da abolição do casamento. O Amor não devia ser um contrato comercial! Amem-se! Mas já que existe, 'bora anular todos os que não têm filhos e, já agora, os que não têm amor também.

Maísha disse...

adivinhem quem vai ganhar as próximas eleições? essa é que era uma grande herança que o PS lhes deixava, se legalizasse agora o casamento entre homossexuais. é perante estas situações que acho que se devia tomar acções concretas... não faço a menor ideia de quê, mas algo legalmente viável, processar a mulher de alguma forma! atacar de frente, o mais directamente possível. afinal, esta coisa inominável, tem a distinta lata de dizer em televisão que pronto, é verdade, até está a fazer uma discriminação, mas o que é que se há-de fazer, as coisas são como são. julgo não estar a ser muito injusta se disser que neste tipo de acções, normalmente, as associações falham. e é pena.

Poppie disse...

gayja: e não te esqueças de proibir os casamentos entre todas as pessoas em idade não fértil!

maísha: mas o PS tem um problema… não tem coragem política para o fazer… eu vou votar, não tendo por hábito faze-lo. assim não será a minha abstenção a ajudar o PSD a chegar ao poder.

Maísha disse...

poppie: precisamente.

Mjovemzinha disse...

Olá
Vou deixar este comentário só para dizer que li o teu blog de uma ponta a outra e que adorei tanto que o devorei inteiro. Por isso peço desculpa ^^ :)

Maísha disse...

já uma vez me lembrei deste poema, quando votámos pela alteração da lei do aborto. é impressionante os morgados que ainda existem naquela assembleia.

A deputada Natália Correia, escreveu e distribuiu no hemiciclo o poema abaixo, dedicado ao seu colega João Morgado.
Este parlamentar do CDS afirmara, em 1982, numa intervenção sobre a questão do aborto, que o acto sexual só é justificável tendo por objectivo a procriação proferindo: "O acto sexual é para ter filhos".

"Já que o coito - diz o Morgado
Tem como fim cristalino
Preciso e imaculado
Fazer menina e menino,
E cada vez que o varão
Sexual petisco manduca
Temos na procriação
Prova que houve truca-truca.

Sendo pai de um só rebento
Lógica é a conclusão
De que o viril instrumento
Só usou - parca ração! –
Uma vez. E se a função
Faz o órgão - diz o ditado –
Consumada essa operação
Ficou capado o Morgado."

(Natália Correia)

Gayja disse...

philip, eu já desisti de ler os comentários dos vários jornais online... Fico sempre irritada com a ignorância que por lá pára!

pessoa solidária, o casamento não é um contrato comercial no sentido jurídico do termo. Mas percebo o que quer dizer. Também já fui da sua opinião.

maísha, o problema é que no PS também se mantêm todos muito convenientemente calados quanto a esta questão... Sim, é pena que o reconhecimento público de uma posição discriminatória pela líder do maior partido da oposição não tenha consequências sérias. Também já tinha encontrado referência a esse poema noutros blogs! ;)



poppie, lembras bem! :p Sim, vai votar (mas isso já deveria ser feito sempre... independentemente do partido... ;))

mjovemzinha, não tens nada que pedir desculpa. Um blog é uma coisa pública. Ainda bem que gostaste! :)