Ponto final

(antes)
- Estás a ser demasiado radical. Calma...

-Não. Se fosse outra pessoa qualquer, nem queria saber. Mas não se trata de uma pessoa qualquer. Nem quero acreditar... Vou lá já hoje à tarde.

- Fogo... És tal e qual a tua mãe...

- Hei!!

(depois)
- Está tudo bem?

- Sim. Agora sim.

- Já fiquei a saber que tenho de ter cuidado contigo.

- Ó... pelo menos ficaste a saber que gosto das coisas esclarecidas e não consigo ficar chateada muito tempo.

- Por acaso tu até costumas ficar a remoer...

- Sim, e estive a remoer desde ontem. Mas hoje não aguentei mais. Não podia ser. Se calhar até devia ter ido logo ontem...


A verdade é que, normalmente, fico a remoer um assunto durante muito tempo e apenas quando este começa a tirar-me o sono, passo à acção. Desta vez, perdi o sono logo na primeira noite.
Não podia ser...

E de facto... não era.

Hoje, uma questão que se arrasta há demasiados anos, atingiu uma proporção que nunca deveria ter atingido. Teve consequências que nunca previ.
Por isto, a partir de hoje, chega.
Para mim, acabou.

Quando alguém
. não consegue dar rumo à vida,
. não aceita os conselhos de outros,
. acha que as pessoas que lhe dizem as verdades que não quer ouvir só o fazem para o chatear ou porque não querem saber,
. quando mente para enganar as pessoas,
. quando causa conflitos entre outros apenas para se sobrevalorizar,
. quando não quer ver a realidade como ela é,
. quando não sabe lidar com as suas frustrações nem aceita a ajuda de quem está lá para isso mesmo,
. e quando acha que são aqueles que lhe dizem «amém» e que o acham o maior que são os seus verdadeiros amigos,

essa pessoa torna-se corrosiva.

E quanto a mim, basta. Afasto-me.

1 sobreviveram ao "lápis azul":

Maísha disse...

isso é q foi um desabafo...