Eu não era assim...

Isto de amar e manter uma relação com uma pessoa tem muito que se lhe diga.

A minha mais recente descoberta ocorreu na Lesboa.

A minha namorada anda afogada em trabalho há algum tempo (na verdade, também eu devia estar mas estou a passar por uma fase de negligência e por isso deixo tudo para "a última") pelo que lhe tem sido totalmente impossível sair à noite. Mas eu preciso sair. Arejar um pouco.
E assim o fiz, na semana passada, por duas vezes. Correu tudo bem. Afinal, era só uma saída com amigos e depois voltava para casa onde tinha a minha namorada a dormir (ainda não fiz um post sobre como adoro ficar a vê-la dormir...) e eu só tinha de entrar sem fazer barulho, enfiar-me debaixo dos lençóis e abraçá-la.

Este Sábado, ia ser apenas mais uma noite em que eu saía e ela ficava em casa. Tudo ok. Ainda por cima, eu tinha carta de alforria!

Ora bolas...
De que me serviu a carta de alforria...?

Devia ter passado cerca de uma hora desde que tinha entrado no recinto da festa quando senti um aperto enorme. Um vazio. Nunca tinha sentido tal coisa. Muito menos num ambiente de festa e com boa companhia!

E tive de sair para lhe telefonar e ouvir a sua voz...


Eu sei... é estranho... não é?

5 sobreviveram ao "lápis azul":

AD disse...

Quando não estamos com ELA fica um vazio, por mais pessoas que nos rodeiem...
É o amor!

AD disse...

(Ainda não tive tempo de tirar uma foto nova para trocar esta, mas não está esquecida).
:)

Poppie disse...

não, não é nada estranho...

walla disse...

Não é :)

Isa disse...

Ahh! (suspiro)
O amor é realmente lindo!!