Confissões

- Ó! Toda a vida foi assim!
Quando era mais pequena, era porque os miúdos andavam todos na rua a brincar sem os pais a controlar e os meus pais não me deixavam ir com eles.
Depois era porque eu não era baptizada e a minha professora obrigava-me a rezar ou a funcionária perguntava-me o que ia ser de mim quando morresse.
Depois foi quando a escola organizou um "passeio da escola" no âmbito da disciplina de Religião e Moral ao qual eu fui a única a não poder ir por não estar inscrita nessa disciplina. Ainda por cima obrigaram-me a ser a única aluna da minha turma na escola naquele dia.
Depois eram as missas da Páscoa e de Natal numa Igreja perto da escola que dispensavam os alunos que lá fossem, de assistir às aulas. Adivinha quem era a única aluna na aula de Educação Visual?
Depois foi nas aulas de Educação Física em que o professor punha as meninas a dançar e os meninos a jogar futebol. Eu não queria dançar e os meninos não me deixavam jogar com eles.
Depois era porque todos saíam à noite até à hora que lhes apetecesse e iam onde queriam e eu tinha de estar à meia-noite em casa e estava proibida de ir a alguns sítios. Sentia-me a única ET do grupo e alguns putos gozavam comigo por isso.
Finalmente ainda tive a reacção dos meus pais quando lhes disse que era lésbica.
Depois de tudo isto, alguém discriminar-me pela minha "gayness"... O que é isso? "Peanuts"!!


2 sobreviveram ao "lápis azul":

maísha disse...

:-) rir é mesmo o melhor remédio.

Gayja disse...

maísha, sim, esta coisa de estar sempre a fazer de tudo um drama também cansa... ;)