E foi hoje que lhe fiz frente

O meu pai já tinha "mandando a boca" ontem e eu, que na devida altura não respondi, fiquei a remoer. Hoje voltou a trazer o assunto à baila mas desta vez não escapou:

- Vieste cá e nem vieste a casa. Tu também te estás a passar...

- Achas que me estou a passar? Ora pensa lá um bocadinho: porque não terei eu vindo cá a casa. Pensa. Ou queres que te relembre?

- Mostra lá as carteiras que compraste.

(A fugir à conversa? Já estás no papo!)
- Mostro. Mas diz-me lá: já pensaste? Diz-me porque não terei eu vindo cá a casa. Porque achas que foi?

- Não quero falar sobre esse assunto que me incomodo.

- Ah... Não queres falar? Já percebeste, foi? Já conseguiste chegar lá? Então se não queres que to diga, não te estiques! Não te estiques!

- Sim, as carteiras são giras.


Não fui a casa deles porque estava com a minha namorada. Será que ainda não perceberam que enquanto continuarem em negação é a mim que negam?

3 sobreviveram ao "lápis azul":

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Pois, isso é bem verdade. É como tapar o sol com a peneira. Espero que vejam isso depressa. Espero que o amor de pais ultrapasse qualquer preconceito. Espero mesmo... Força!
Beijinhos para as duas.

Gayja disse...

Para já, ainda não perdi a esperança! ;)
*bjs

Timona disse...

E bibam as carteiras...
Espero que acabem por aceitar perfeitamente :)